Você sabe identificar suas emoções?

Todos os indivíduos possuem emoções dentro de si, seja em maior ou menor grau. Somos indivíduos capazes de sentir e provocar as mais diversas emoções. E conhecê-las é fundamental para o nosso autoconhecimento.

As emoções são respostas neurais para estímulos externos, e os sentimentos são respostas às emoções, diz respeito a como a pessoa se sente diante daquela emoção. As emoções são reações espontâneas, que fogem do nosso controle, enquanto os sentimentos são uma espécie de juízo sobre as nossas emoções.

As emoções manifestam e duram pouco tempo, cerca de segundos e no máximo poucos minutos. Mas servem como um guia, de como estamos nos sentindo no momento, o que é superimportante para nosso autoconhecimento e desenvolvimento individual. Precisamos estar conectados com nós mesmos, atentos para identificar nossas reações a esses estímulos e nos permitirmos sentir!

É importante salientar aqui que todas as emoções são necessárias e que não existe emoções boas ou ruins. Nos próximos dias vou estar trazendo algumas das emoções básicas, para que possamos compreender um pouco mais.

Alegria

No filme Divertida Mente, assistimos o funcionamento do cérebro de Riley (personagem principal) e é a partir dele que conseguimos entender o funcionamento das cinco emoções base: a Alegria, a Tristeza, o Medo, a Raiva e o Nojinho.

Assim que Riley abre o olho ao sair da barriga da sua mãe aparece a Alegria, uma das principais emoções do centro de comando do cérebro da menina. Ao ouvir a voz do pai e encarar a expressão da mãe, a Alegria – que tem o corpo com o formato de uma estrela – comparece fazendo imediatamente Riley sorrir.

A Alegria está presente em todos os momentos felizes da vida da garota e tem um papel central no seu bem estar. A personagem não cansa de ver as coisas com extremo otimismo, mesmo quando a situação exige um pouco de medo, tristeza, nojo ou raiva.

O primeiro contato com as emoções e sentimentos acontece já na vida intrauterina. É cientificamente comprovado que as emoções e sentimentos dos pais são transferidos para o bebê durante a gestação. A partir dessas experiências e até os sete anos de idade, o indivíduo desenvolve seus programas emocionais. É nesse período que ele registra e interpreta todas as emoções e experiências de acordo com seus sentimentos, transformando suas interpretações em padrões emocionais e comportamentais que podem refletir por toda a vida.

Tristeza

A tristeza é um sentimento essencial e fundamental para o amadurecimento da menina no filme. Ao se deparar com situações inesperada, Riley se sente deprimida, sozinha, e a Tristeza ganha força. Fisicamente o corpo da personagem tem o contorno de uma gota e é azul.

A personagem Alegria tenta, a todo o momento, sufocar e ignorar a Tristeza. A animação faz uma crítica ao mundo atual, em que precisamos estar felizes o tempo todo, a qualquer custo.

Um dos ensinamentos é justamente a importância da Tristeza, que costuma ser deixada de lado sempre que possível na sociedade contemporânea. Apesar de preferirmos os momentos alegres de nossa vida, cada emoção tem a sua importância, e é necessário saber usá-las da melhor forma possível diante dos desafios. ⠀

Precisamos ter alegria no momento certo e dar passagem para a tristeza em determinadas ocasiões. O problema ocorre quando não nos permitimos sentir, e ao tentar reprimir as emoções, elas acabam ultrapassando os limites.

A busca pelo equilíbrio é essencial em todas as áreas das nossas vidas, e não é diferente com nossas emoções!

Medo

O Medo é responsável por muitas das reações de repulsa de Riley, seu corpo tem os contornos de um nervo e é roxo. Quando ele entra em ação a menina tem o impulso de escapar da situação em que se encontra o mais rapidamente possível.

Apesar de tendermos a menosprezar e a diminuir ao máximo o medo, ele acaba por se provar como uma emoção essencial para a proteção do indivíduo.

O medo também é uma emoção que contribui para que os indivíduos criem. Em nome da autopreservação, o ser humano inventou a roda e o fogo. O medo contribui com a evolução dos indivíduos.

O segredo está em equilibrar as emoções e não permitir, por exemplo, que o temor nos impeça de sair de casa.

Raiva

Baixinho, vermelho, com muitos dentes e engravatado, essa é a representação da Raiva de Riley, no filme Divertida Mente. Quando as coisas não acontecem conforme o esperado, a Raiva entra em ação e domina a sala de comando do pensamento.

Em diversas situações chave vemos a menina se render à raiva, o sentimento começa a ficar especialmente potente quando Riley cresce e entra na pré-adolescência.

Essa emoção tem o potencial de indignar e corrigir eventuais injustiças. A raiva estimula o sujeito a se defender, mas se ultrapassa os limites, ela se torna destrutiva. O segredo, mais uma vez, está no equilíbrio!

Nojinho

As situações em que Nojinho mais aparece no filme, envolvem a refeição, especialmente quando há brócolis no prato. Nojinho, aliás, é concebida com a cor e o formato de um brócolis. Ao menor alerta de Nojinho, Riley imediatamente se afasta da circunstância que lhe provoca repulsa.

Esse sentimento nos livra de grandes enrascadas. A função adaptativa da repugnância é rejeitar qualquer estímulo que possa ser tóxico. As náuseas e o incômodo ajudam que o sujeito evite ingerir coisas que são nocivas ao corpo. No entanto, com o tempo, essa emoção adquiriu caráter social também rejeitando estímulos sociais tóxicos.

Beijos
Carol Rangel 🦋

 

Vamos conversar?

LOCALIZAÇÃO

Rua dos Andradas, 1137 – sala 1818. Centro histórico – Porto Alegre
CEP: 900200-07

CONTATO

(51) 99468-4475

carolrangel.psi@gmail.com

Fale comigo

Vamos conversar?

LOCALIZAÇÃO

Rua dos Andradas, 1137 – sala 1818. Centro histórico – Porto Alegre
CEP: 900200-07

CONTATO

(51) 99468-4475

carolrangel.psi@gmail.com

Fale comigo

Marketing Digital por Batista Comunicação

Abrir chat
Precisa de ajuda?
Oi :) Posso te ajudar?